domingo, 6 de maio de 2012

Mulheres

Gostam de receber as flores,
De ter colares de pérolas,
            De se sentirem querida,
           De estarem bem amadas!
           De sonhos e devaneios.
           Fantasias...
           Tem os órgãos para receber dentro do seu ventre, o outro...
            A semente que nasce, desenvolve,cresce, amadurece e cria!
 Ser receptivo! terno, doce, caloroso!

             Mulheres...
            Que se enfeitam,
            Que gostam de se cuidar.
            O seu corpo, deve ser uma seda;  um receptáculo,
            Para formar um casulo...
 Que com seus fios monta a morada para o outro
            Que antes estava no além
            Depois de fecundada pelo macho,
            Chega dentro de você o embrião – VIDA.


            Mulheres!
             No seu corpo todo está expresso amor, transformações, vida,
            Para acolher, acariciar, prover, nutrir... o outro!

            Você deve ser,
            A rainha abelha;
            Que com seus zangões e suas operárias,
            Retira de cada florzinha,
            O néctar - alimento precioso
            Para se fabricar – o mel.

            Para que possa alimentar-se

            Para que possa alimentar o outro.
             Para que possa alimentar - O mundo.
 E se sentir mulher!

              M = consoante da terra

 U = vogal que conduz duas retas que caminham juntas para o infinito,  com          polaridades  para o desenvolvimento do ser humano e nunca chegam ao fim.
 I = consoante das águas, que recebe todos os rios, acolhe,  transformando o doce no salgado – nos  mares!
           Solution na alquimia
H = consoante do fogo - Elemento nobre que das trevas se faz luz.
E = Vogal que contém. Útero, que sustenta e nutre.
R = Consoante do ar que pelos pulmões – nosso primeiro órgão em  funcionamento quando saímos para o mundo e respiramos.

           
Mulheres -    Seres da Criação,

                                Procriação,


                                   Nascimentos! No mundo...


            Representação arquetípica da Grande Mãe: Onde tudo nasce,

                                                                                   Onde tudo se retorna,

Terra, Natureza, Vida.

 Mulheres!


                                                                       Maria Raymunda Ribeiro

O Rio da Vida


O rio da vida corre...
Levando o passado,
No enrosco das pedras,
Os buracos feitos pelas tempestades,
O frio das águas pratas,
Que deixou de brilhar em alguns pontos.


O rio da vida corre...
Escorre pela montanha,
Que nasceu da gruta Mãe,
Saindo do seu ventre,
Borbulhando em olhos d’água,
Que jorra incessantemente,
Para continuar caminhando.


O rio da vida corre...
É aquecido pelo sol,
É atacado pelas chuvas,
É levado pelo vento,
Procurando o caminho para ir,
De encontro com outras águas,
Engrossando o seu leito até chegar no mar.


O rio da vida corre...
Muitas vezes calmo, feliz,
Jubilante, espumante,

Solto no ar, saltitante,
Ah! Que delícia de vida!
É o doce da conquista,
Do amor presente incondicionalmente.


O rio da vida corre...
Turvo, escuro, triste,
Quando as perdas nos atingem,
O medo toma conta,
A dor embala os sonhos,
Com pedras enormes pelo caminho.
O rio da vida corre...

Se você encontrar a luz,
Que tens dentro de ti,
A correnteza te leva continuamente.
E o rio da vida  corre...                                     


 Maria Raymunda Ribeiro